Pastilhas de freio, qual a hora certa de trocar?

pastilhas-de-freio

Independente de qual seja o sistema de freios do seu carro, a tambor, disco, pneumático ou ABS, é essencial que ele funcione corretamente. Para isso, o sistema de freios precisa ser revisado periodicamente para garantir a segurança do motorista e passageiros.

O freio a disco é o tipo mais comum encontrado nos carros atualmente, principalmente nas rodas dianteiras. Isso acontece porque o custo do freio a disco eleva o valor dos veículos, portanto, algumas montadoras mantiveram o freio a tambor nas rodas traseiras e a disco nas dianteiras.

Como funciona o freio a disco?

Quando o freio de um carro é acionado as pastilhas de freio sofrem atrito do disco, esse atrito faz que o veículo reduza até parar. Devido ao atrito gerado, é comum que as pastilhas sofram desgaste com o tempo, por isso é preciso realizar revisões e até a troca delas quando necessário.

Por que manter as pastilhas em dia?

Segurança é o principal motivo para você fazer a troca das pastilhas e sua revisão quando necessário.

As pastilhas sofrem muito desgaste, devido a isso, se ela não estiver em boas condições pode falhar e, por pertencer ao sistema de freios do veículo, pode causar acidentes graves.

Além disso, manter as pastilhas em dia significa economia, pois sua troca é rápida e econômica. Porém, caso você não a realize, os discos podem ser comprometidos, e a troca deles é consideravelmente mais cara.

Conheça os sinais de desgaste das pastilhas

Existem alguns sinais e ruídos que indicam o desgaste das pastilhas, por essa razão, compreender de onde vem e o que significam pode ajudar você a manter a saúde do sistema de freios em dia.

Felizmente, esses sinais são de fácil identificação, e caso você perceba algum deles, é importante que procure um profissional para fazer uma avaliação.

Dentre os principais sinais, podemos citar:

● Ruídos: Se nenhuma manutenção foi realizada no seu carro recentemente e ele começar a fazer ruídos estridentes toda vez que você aciona o freio, é possível que as pastilhas estejam comprometidas. Para ajudar na identificação, o ruído escutado é similar a quando um metal atrita no outro, que é bem agudo.
As pastilhas de freio quando estão muito desgastadas, começam a gerar barulhos estridentes, causado pelo atrito do disco, porém, existem outros problemas que podem causar esses sons, como: disco de freio com superfície irregular, pastilhas flutuando nas pinças de freio, contato errôneo entre as pastilhas e o disco. Portanto, é importante que seja realizada uma avaliação antes da troca ser feita realmente.

Além disso, observe que, caso você tenha realizado manutenção recentemente, é comum que as pastilhas de freio façam ruídos quando estão novas, porém, após algumas semanas, esse barulho passa e não é mais audível. Ou seja, caso realize a manutenção, não se assuste com os barulhos iniciais que ocorrerem, observe se eles passarão em alguns dias, caso não aconteça, volte ao mecânico para conferir o problema.

● Freios com pouca eficiência: Devido a utilização do freio, desgastes acontecem e consequentemente perda de eficiência. Essa perda pode ser causada por alguns fatores, como: desgaste das pastilhas, fluido de freio velho ou com baixo nível, vazamentos e tubulações comprometidas. Portanto, mais uma vez, a dica é levar o veículo ao mecânico para verificar o real problema, assim gastos desnecessários com peças que estão boas são evitados.

Quando trocar as pastilhas?

A durabilidade das pastilhas varia de acordo com inúmeros fatores como, ambiente, modo que o motorista conduz o veículo, material que são feitas, etc.

O manual do veículo costuma indicar qual a vida útil das peças de seu carro e qual o prazo para serem trocadas, porém, é importante ficar atento aos sinais citados anteriormente, porque, dependendo de como o carro é utilizado, principalmente no meio urbano onde o “arranca e para” é comum, é normal que as pastilhas se desgastem com mais facilidade.

Além disso, as pastilhas podem ser feitas de diferentes materiais, como as orgânicas, metálicas, semi metálicas e cerâmicas, cada uma com diferentes resistência e durabilidade, fator que influencia muito na vida útil da peça.

Normalmente, o indicado, é que revisões sejam feitas a cada 10 mil quilômetros rodados, o que não significa que trocas precisarão ser feitas, mas pelo menos, garante-se que o sistema de freios está em bom estado.

Por fim, vale dizer, que alguns cuidados podem ser tomados para evitar o desgaste rápido dos freios, como por exemplo, não forçar muito o freio em ladeiras – o que é bem comum principalmente para quem não tem muita experiência com o carro, além de você superaquecer o sistema de frenagem o que pode causar uma falha-; evitar frear bruscamente, pois esse tipo de ação causa um desgaste maior e pode ocasionar uma quebra nos componentes; observar para não colocar sobrepeso no veículo, porque ele sobrecarrega os freios e o próprio motor.

Veja mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Call Now

Open chat